Este site tem certas restrições de navegação. Recomendamos o uso de navegadores web como: Edge, Chrome, Safari ou Firefox.

PORTES GRÁTIS EM COMPRAS SUPERIORES A 40€

Carrinho de Compras

O seu carrinho está vazio

Continuar as Compras

Como os Probióticos Protegem o Nosso Corpo Contra Bactérias Nocivas

Os probióticos são bactérias benéficas que não só promovem a saúde digestiva, mas também ajudam a proteger o seu corpo contra bactérias nocivas.

Um grande exemplo de alimentos ricos em probióticos é a Kombucha. Mas o que é exatamente um probiótico? Qual é a sua função? Continue a ler para descobrir!

O que são os probióticos, o que fazem e onde encontrá-los

Os probióticos são microrganismos vivos que, quando consumidos, vivem no intestino e protegem o nosso organismo contra as bactérias nocivas, equilibrando ou restaurando a nossa flora intestinal.

Estas “bactérias boas”, trazem benefícios como ajudar na digestão,  absorção de nutrientes e fortalecer o sistema imunológico. Os probióticos mais comuns são as bactérias dos géneros Lactobacillus e Bifidobacterium, e leveduras como o Saccharomyces spp.

Existem duas formas de consumir probióticos: recorrendo a suplementos alimentares ou através do consumo de alimentos com probióticos naturais, como sejam a Kombucha, o iogurte natural ou kefir e comidas fermentadas como o chucrute ou kimchi. 

Os probióticos têm um papel variado no sistema digestivo e eles:

  • Ajudam no fabrico de vitaminas B.
  • Protegem contra toxinas externas.
  • Melhoram a eficiência do trato gastrointestinal
  • Reforçam o sistema imunitário.
  • Melhoram o funcionamento do intestino.
  • Ajudam a digerir e absorver nutrientes dos alimentos.

Probióticos - Boas bactérias que ajudam a digerir e a absorver os nutrientes dos seus alimentos.

O que são os prebióticos?

Os prebióticos são fibras de origem vegetal indigestíveis que servem de alimento para os probióticos. Estão naturalmente presentes em alimentos como cevada, aveia, trigo, bananas, cebolas, alho, alho-francês, mel, alcachofras, entre outros.

Assim, consumir alimentos que contenham pré e probióticos resulta numa flora intestinal equilibrada e saudável. 

PrebióticosFibra indigestível que alimenta os probióticos no seu intestino.

Como a saúde intestinal se desequilibra

  • Produtos químicos nos alimentos, água e ar.
  • Dieta pobre e escolhas alimentares, incluindo açúcar, glúten e conservantes em alimentos processados.
  • Stress.
  • Medicamentos, incluindo antibióticos.

Como é que obtemos bactérias "boas"?

  • Ao consumir alimentos e bebidas fermentados.
  • Ao tomar um suplementos probióticos.
  • Alimentando os probióticos no intestino com prebióticos sob a forma de alimentos ricos em fibras.

Benefícios dos Probióticos

Os probióticos exercem os seus efeitos benéficos através da diminuição do pH intestinal, levam ao decréscimo da colonização e invasão de bactérias maléficas e modulam também o sistema imunitário (1).

Existem estudos científicos da eficácia dos probióticos na saúde humana nos seguintes aspectos:

Saúde Gastrointestinal

Probióticos - Saúde gastrointestinal

Das inúmeras vantagens do consumo de probióticos, a ação ao nível da função intestinal é a que mais se destaca, nomeadamente na prevenção e tratamento da diarreia, na prisão de ventre, e promoção do trânsito intestinal regular.

Os probióticos são eficazes no tratamento de diarreia aguda causada por rotavírus (2) e também são eficazes em doenças gastrointestinais como diarreia associada à toma de antibióticos, diarreia associada a infeção por Clostridium difficile, encefalopatia hepática, colites ulcerativas, síndrome do intestino irritável, doença gastrintestinal funcional e enterocolite necrosante (3). 

Saúde Mental

Probioticos - Saude Mental

Embora seja difícil imaginar uma ligação direta entre o intestino e o cérebro, um corpo crescente da evidência mostra uma interação bidirecional entre estes dois sistemas do corpo humano. Isto é conhecido como o eixo cérebro-intestino.

A colonização do nosso intestino por bactérias boas tem impacto no cérebro em formação e consequentemente no comportamento que o indivíduo terá em adulto (4). Assim, as bactérias probióticas são um agente ambiental com o poder de influenciar o neurodesenvolvimento. Aos produtos que são secretados por estas bactérias foram reconhecidas propriedades neuroactivas (5).

Os probióticos estão também associados a uma diminuição de doenças como a depressão e ansiedade e ajudam a melhorar o humor (6). Por outro lado, o impacto negativo que o desequilíbrio dessa flora intestinal pode ter, contribui para o desenvolvimento de doenças neuropsiquiátricas (7).

Saúde Oral

Probioticos Saude Oral

Existem também estudos científicas que mostram que a utilização de probióticos pode trazer benefícios na saúde oral (8, 9), como por exemplo no tratamento de periodontite que é uma infeção bacteriana nas gengivas (10).

Saúde Imunológica

Probioticos

Um sistema imunitário saudável é, não só capaz de oferecer proteção contra bactérias patogénicas, como também de ser tolerante para bactérias boas, para alimentos e para o organismo em si.

A má nutrição tem um impacto grande no funcionamento do sistema imunitário e tornando o organismo mais suscetível a infeções. Bactérias probióticas, que modificam a flora intestinal, estimula o sistema imunitário tornando-o mais resistente a infecções (11).

Saúde Dermatológica

Probioticos saude dermatologica

A pele humana é uma interface entre o corpo e o ambiente com cerca de 1 bilião de bactérias por centímetro quadrado (12). Algumas condições de pele, como dermatite atopica ou acne, ocorrem quando há um desequilíbrio na flora bacteriana da pele.

Os probióticos orais ou tópicos podem ajudar nestas situações e há um crescente interesse da comunidade científica em explorar mais esta área (13).

Conclusão

Se procura um alimento rico em probióticos, a Kombucha é uma excelente opção! A Kombucha é feita com bactérias e leveduras que são benéficas para o seu sistema digestivo. Também contém altos níveis de vitaminas B1, B2, B6, B12 e C. Não só pode promover uma melhor digestão, como também ajudará a proteger o seu corpo de bactérias nocivas.

Para ler mais sobre como a Kombucha pode beneficiar vários aspetos da sua vida, visite esta página - benefícios da Kombucha

Se quiser experimentar um sabor que saiba bem, clique aqui - temos 11 sabores diferentes disponíveis!

Estaremos à sua espera!

 

 

 

 

Referências bibliográficas 

  1. Maldonado Galdeano C, Cazorla SI, Lemme Dumit JM, Vélez E, Perdigón G. Beneficial Effects of Probiotic Consumption on the Immune System. Ann Nutr Metab. 2019;74(2):115-124. 
  2. Williams NT. Probiotics. Am J Health Syst Pharm. 2010 Mar 15;67(6):449-58. 
  3. Wilkins T, Sequoia J. Probiotics for Gastrointestinal Conditions: A Summary of the Evidence. Am Fam Physician. 2017 Aug 1;96(3):170-178. 
  4. Saulnier, D. M., Ringel, Y., Heyman, M. B., Foster, J. A., Bercik, P., Shulman, R., et al. (2013) The intestinal microbiome, probiotics and prebiotics in neurogastroenterology. Gut Microbes 4:17-26.
  5. Burnet, W. J., & Cowen, P. J. (2013) Psychobiotics Highlight the pathways to happiness. Biol Psychiatry 74:708-709.
  6. Akbari, E., Asemi, Z., Daneshvar Kakhaki, R., Bahmani, F., Kouchaki, E., Tamtaji, O. R., Hamidi, G. A., & Salami, M. (2016). Effect of Probiotic Supplementation on Cognitive Function and Metabolic Status in Alzheimer's Disease: A Randomized, Double-Blind and Controlled Trial. Frontiers in aging neuroscience, 8, 256. 
  7. Crumeyrolle-Ariasa, M., Jaglin, M., Bruneau, A., Vancassel, S., Cardona, A., Dauge, V., et al. (2014) Absence of the gut microbiota enhances anxiety-like behavior and neuroendocrine response to acute stress in rats. Psychoneuroendocrinology 42:207-217
  8. Foster, J., & Neufeld, K. M. (2013) Gut-brain axis: how the microbiome influences anxiety and depression. Trends in Neurosciences 36:305-312.
  9. Allaker, R. P., & Stephen, A. S. (2017). Use of Probiotics and Oral Health. Current oral health reports, 4(4), 309–318. 
  10. Matsubara VH, Bandara HM, Ishikawa KH, Mayer MP, Samaranayake LP. (2016) The role of probiotic bacteria in managing periodontal disease: a systematic review. Expert Rev Anti Infect Ther. Jul;14(7):643-55. 
  11. Calder, P. (2013). Feeding the immune system. Proceedings of the Nutrition Society, 72(3), 299-309. 
  12. H. H. Kong, J. A. Segre, J. (2012) Skin microbiome: looking back to move forward. Invest. Dermatol., 132, 933.
  13. Knackstedt, R., Knackstedt, T., & Gatherwright, J. (2020). The role of topical probiotics in skin conditions: A systematic review of animal and human studies and implications for future therapies. Experimental dermatology, 29(1), 15-21.

Comentários (0)

Deixe um comentário